Tentação, a propaganda enganosa do mal

Tiago 1.13-15

Existe uma grande diferença entre pecado e tentação. Jesus foi tentado em todas as coisas, mas sem pecado (Hb 4.15), pois Ele veio amando a justiça e odiando o pecado (Hb 1.9). Então, o que é a tentação? A tentação vem antes do pecado, pois é um convite para o pecado. A tentação é um convite bonito, atraente, que acena com possibilidades aparentemente interessantes e até sensacionais, mas que no fim não passa de propaganda enganosa. Como no treinamento da camuflagem militar, utilizado para enganar o inimigo, ou para capturar uma presa, assim é a tentação. O tentador estuda sua presa, constrói esconderijos e coloca chamarizes.

Os chamarizes estão por toda parte, nas ruas e até na internet. Quantas mulheres foram enganadas e até mortas a partir de um contato com um estranho pela internet? A internet é boa por um lado, mas é um ambiente propício à mentira. Satanás é o pai da mentira. Ele, qual serpente, foi descrito como “o mais astuto de todos os animais do campo” (Gn 3.1). O apóstolo Paulo também ensina que “o diabo se transforma em anjo de luz” e que nós não podemos ignorar os seus ardis (2Cor 11.14). Por isso somos instados a “… estar firmes contra as astutas ciladas do diabo”. Vejamos, portanto, algumas características acerca da tentação.

A tentação sempre está enraizada na mentira
A tentação é uma sedução. Um convite para fazer algo errado ou pecaminoso aos olhos de Deus. Um convite para o bem não é tentação. Satanás é “o sedutor de todo o mundo” (Ap 12.9). Se pudéssemos ver o pecado como ele realmente é no fim, não o acharíamos tentador no início. Se Sansão soubesse que o seu envolvimento com Dalila acabaria em traição, olhos arrancados e prisioneiro dos inimigos, ele jamais teria se aproximado dela, por mais bela que fosse. Se Davi soubesse que aquele adultério traria a morte dos seus filhos ele pensaria duas vezes. O inimigo tenta dizendo que vai satisfazer uma necessidade, mas engana. As mentiras religiosas são trazidas por falsos mestres. Parecem verdadeiros, mas são falsos. Será que você já ouviu o tentador sussurrar? “O que é que tem?” “Não tem nada a ver!” “É certo que não morrereis!” Para Eva ele disse “Sereis como Deus…” Ele usa mentiras e meias verdades, mas Deus trabalha com a verdade completa, no longo prazo, e nossa única defesa contra as mentiras do inimigo é a Palavra de Deus, trazida pelo Espírito Santo. Jesus enfrentou o tentador dizendo: “Está escrito…”

Todo fracasso começa com pequenas concessões
Uma grande barragem só se rompe por causa de uma pequena fenda não corrigida no paredão. O campo de batalha da tentação é a nossa alma. E cada vez que alguém ultrapassa o mandamento do Senhor é como uma fenda que se abre no muro da alma. E o tentador então coloca uma “cunha” na fenda, subjugando as emoções e a vontade da pessoa, fazendo-a prisioneira de pecados e vícios. Todo pecado vem de longe e gera envolvimento; começa pequeno, com um olhar ou um pensamento. Pode até parecer que a pessoa foi derrubada pela crise final, mas na realidade ela começou a cair desde o início, desde que concordou com coisas aparentemente insignificantes. O tentador sabe que cada pecado é como uma semente. E ali começa uma história de vergonha. A mente humana é como uma estufa que faz os pensamentos germinarem como sementes, levando as pessoas a praticar o que vai se tornando forte nelas. Tudo que cresce na mente tende a se realizar. Mas a Palavra diz: “Enganoso é o coração e desesperadamente corrupto” (Jr 17.9). O que significa isso? Que não podemos confiar na consciência para discernir o certo do errado. Só a Palavra de Deus é final. Mas não é do diabo toda culpa. O problema é o nosso “eu” independente e insubmisso à Palavra. O homem é tentado por sua própria cobiça, quanto esta o atrai e o seduz (Tg 1.14). Israel foi levado ao cativeiro várias vezes porque deu lugar a pequenas concessões, como a idolatria. Por isso, não negocie sua integridade. Devemos ser mansos, mas radicais contra o pecado. Precisamos lidar com a tentação na fonte, pois diz a Palavra: “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração” (Pv 4.23). Faça de sua mente um jardim selado para o Espírito Santo (Fp 4.8).

Deus tem melhores planos para cada um de nós
Em Isaías 55.7-9 o Senhor exorta a que deixemos os nossos próprios pensamentos e tomemos os pensamentos de Deus, porque seus caminhos são mais altos que os nossos caminhos. O inimigo apresenta um tabuleiro de xadrex mostrando que já te deu o “xeque-mate”, mas Jesus tem sempre um movimento a mais para fazer e trazer libertação.

Conclusão
Talvez você se sinta derrotado hoje, achando que sua vida está muito abalada ou em completa derrota. E, assim, parece que o xeque-mate do inimigo é certo, mas o Mestre dos mestres do xadrez da vida, Jesus Cristo, pode inverter essa situação, pois Satanás é mentiroso e pai da mentira (Jo 8.44). Os pensamentos de Deus a seu respeito são mais altos e Ele tem grande prazer em destruir os planos do inimigo. Foi para isso que Jesus se manifestou, para destruir as obras do diabo (1 Jo. 3.8b). Eu te convido a tomar uma nova posição. O Salmista orou “inclina o meu coração aos teus testemunhos, e não à cobiça” (119.36). Ora, você não tem que ficar enganado, porque Jesus, o Mestre dos mestres, tem uma posição de força para você no xadrex da vida. Ele te colocará ao seu lado nos lugares celestiais, numa posição de vitória permanente.

Autor: O. R. Sales, líder da MCN. Rbco. AC. Brasil. Adaptado.

Sobre Fiuza

Blog pessoal http://d3rf.wordpress.com
Esse post foi publicado em Artigos, Mensagens e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s